Estórias como Medicina – Contos de Fadas, Mitos e Outras Pérolas

Mulheres correndo com os lobos e transformando a si mesmas e ao mundo!

Essa é a minha visão de um futuro próximo. Um futuro que se une ao passado através das histórias. Histórias-mapa que nos levam ao tesouro mais valioso: à nossa essência sagrada, ao nosso Sagrado Feminino. Saiba como!

Sou Erika, facilitadora de Círculos de Mulheres e Guardiã do Círculo feminino “A Senda da Deusa”. Atualmente meu trabalho está focado em ajudar mulheres a resgatar sua integridade e equilíbrio e a desenvolver seus infinitos potenciais e é por isso que escrevo esse artigo.  E é por isso que quero te contar que a cura para qualquer dano ou para resgatar algum impulso psíquico perdido está nas histórias.

Mas de que se trata o tal famoso “Sagrado feminino” que tanto se fala hoje em dia?

Bem, houve um tempo em que Deus era uma Deusa. Houve um tempo em que essa Deusa era venerada pelos seus atributos amorosos. Houve um tempo em que as mulheres eram adoradas por representarem a Deusa na terra.  Ora, se é a mulher que gera a vida, essa entidade criadora só poderia ser… uma entidade feminina.  Nesses tempos, não se tinha o conhecimento da participação de homem no processo de fecundação e, para as sociedades, a mulher era a única genitora do milagre da vida.

Por muitos e muitos anos, muito mais que você possa imaginar, as sociedades respeitavam e admiravam os atributos da Deusa e das Mulheres e, dessa forma, viviam harmonicamente em sociedades chamadas matrifocais ou matriciais. Nessas sociedades, mulheres e homens tinham funções bem definidas e as mulheres ocupavam um lugar de destaque, no “centro” dessa sociedade. Eram sociedades cooperativas e pacíficas, profundamente conectadas com os ciclos da natureza.

Mesmo sendo tempos distantes, eles foram muito significativos para humanidade e deixaram marcas em nosso inconsciente, no inconsciente partilhado pela humanidade chamado “Inconsciente Coletivo”.

O Retorno da Deusa

Destes tempos distantes, ainda recebemos a influência, mesmo que você não tenha consciência disso. Em meio a tanta guerra, competição e desavenças, o mundo está clamando por mais amor, por mais compreensão, por mais acolhimento. O mundo está clamando pelos atributos femininos outrora venerados. O mundo clama pelo abraço da Deusa, da mãe nutridora que existe em cada um de nós, mulheres ou homens.

Esse é o retorno da Deusa, esse é o retorno do Sagrado Feminino!

Cada vez mais, mulheres (e homens!) buscam nos círculos inspiração, desejosos de um espaço acolhedor: o “colo” da Deusa. As mulheres buscam regatar o seu Sagrado Feminino e o seu poder. Não se trata de um poder sobre o outro do modelo patriarcal, mas o poder sobre si mesma: sobre as suas qualidades, seus talentos, seus dons. Sua origem mais essencial de Deusa!

As Histórias como medicina

Hoje em dia, cada vez mais mulheres se reúnem em círculos, “relembrando” intuitivamente aqueles tempos. Nos círculos, em um espaço mítico e mágico, fazemos rituais, tessituras e… Contamos histórias!

Sim, é verdade: através de histórias podemos recuperar o sagrado.

Clarissa Pinkola Estés, em seu livro “Mulheres que Correm com Lobos”, nos traz verdadeiros manuais de como recuperar o sagrado nas mulheres.

Ela nos ensina que os contos de fadas, os mitos e as histórias proporcionam uma compreensão que aguça nosso olhar para que possamos escolher o caminho deixado pela natureza selvagem. Ou seja, um verdadeiro mapa para acessar a nossa essência sagrada.

Ela nos conta que as instruções encontradas nas histórias nos confirmam que o caminho não terminou, mas que ele ainda conduz as mulheres mais longe, e ainda mais longe, na direção do seu próprio conhecimento.

“Mulheres que Correm com Lobos” é um resgate das pérolas daqueles tempos que te contei no início desse artigo. De tempos de Mulheres Sagradas. Contos femininos que continham instruções sobre o sexo, o amor, o casamento, o parto, a natureza, a morte e a transformação e que foram perdendo a sua verdadeira essência ao longo dos tempos frente a nova cultura patriarcal cristã.

Foi assim que se perderam muitos dos contos, contos femininos iniciáticos, que desvendam o drama da alma de uma mulher e as ajudam a reconstruí-la.

Dentre centenas de histórias garimpadas durante décadas, Clarissa traz em seu livro uma seleção de contos que irão conduzir a mulher de volta ao seu lar sagrado, ao templo da sua alma.

Em um mundo sem computadores, sem redes sociais, sem livros e ainda, sem cartas, sem correio ou até mesmo sem escritas, a tradição oral foi a responsável por trazer até nós esse tesouro valioso: o tesouro que nos conduz a nossa essência sagrada e selvagem. Se foi possível naqueles tempos, será ainda mais possível nos tempos atuais. Será possível através dos Círculos de Mulheres. Será possível através da contadora de histórias que habita em nós. Será possível através da mulher desperta em VOCÊ!!

E o futuro se une ao passado através das histórias: histórias-mapa de mulheres sagradas e selvagens!

Eu sou Erika e assim falei!

Erika Mendel 

Terapeuta Especialista em Psicologia  Junguiana
Contato: 21 993173498

Se você sente o chamado selvagem, agende uma entrevista  e inicie essa jornada de autoconhecimento! Disponibilidade para atendimentos com valores social através de plataformas remotas. Venha!