Deusa Pele: O Despertar para uma nova Mulher

A deusa Pele foi uma das primeiras deidades que habitou as ilhas. Ela era uma deusa ciumenta e apaixonada, de uma cultura que praticava a poligamia (vários maridos).

A deusa pele é a deusa do fogo e dos vulcões. À medida que seus rios implacáveis de lavas causam destruição em marcha até o oceano, uma nova terra é criada, o que evidencia a dualidade da destruição e criação como arquétipo de transformação permanente. A deusa Pele é reverenciada hoje como aquela capaz de retomar o equilíbrio da natureza. É esta deusa que mobiliza o centro da terra para reacomodar as energias perdidas.

O Mito

Em uma das histórias, se diz que ela tem seis irmãos e seis irmãs e o seu noivo a trocou por uma de suas irmãs. Muito triste ela se reservou dentro do vulcão Kilauea e quando chora sai lava dele. Para acalma-la os havaianos dançam para ela e a deixam oferendas.

Em outra versão, seu pai a exilou por causa de seu mau temperamento, e finalmente, por brigar com sua irmã mais velha, a deusa-água Ka-lee-oo-maai, a qual o marido de Pele seduziu. Ela viajou do Tahiti, numa canoa guiada pelo seu irmão, o deus-tubarão Ka-moho-ali, e foi perseguida por sua irmã mais velha.

Toda vez que ela desembarcava numa ilha e criava uma morada vulcânica, a irmã a afundava. Finalmente a batalha final acabou perto de Hana, Maui, onde Pele venceu a deusa-água. As lendas dizem que os ossos desta, ainda se encontram numa montanha chamada Ka-iwi-o-Pele.

As facetas arquetípicas de Pele

Pele é conhecida pelo seu temperamento violento, mas também por fazer visitas aos mortais, normalmente aparecendo como uma mulher alta, bonita e jovem ou como uma velha, feia e frágil.

Por vezes está acompanhada de um cachorro branco que ela usa para testar as pessoas, perguntando se elas têm alguma comida ou bebida para dar. Aqueles que passam no teste por mostrar compaixão são poupados e recompensados. Entretanto aqueles que fazem o contrário e são cruéis, desrespeitosos ou mesmo insensíveis, são punidos, tendo seus lares destruídos durante as erupções.

Também se diz que aparece como uma linda mulher pedindo carona para os desavisados turistas que passeiam em noite de lua cheia e pune aqueles que retiram as pedras vulcânicas da Ilha sem a sua permissão.

A presença de Pele ainda é extremamente marcante na história de seu povo, tanto como culto quanto em suas manifestações vulcânicas permanentes. São comuns oferendas de flores, cigarros, bebidas e jóias nas crateras do vulcão Kilauea.

Embora suas sacerdotisas, as rainhas do Havaí, tenham se convertido ao cristianismo, quando houve a erupção de Mauna Loa, em 1880, a princesa Keelikolani recitou os velhos encantamentos, fez oferendas de panos de seda e gotejou brandy sobre a lava ardente. Pele então se acalmou.

Um fato recente e curioso foi à erupção de um vulcão que tomou um vilarejo inteiro menos uma casa. A dona dessa casa disse que era adoradora de Pele e sempre a deixava oferenda e dançava para ela. Esta sociedade era dominada pelo homem e regida por um código moral com severos tabus que ajudavam os havaianos a evitar a ira de Pele.

Pele e o Hula

Para demonstrar sua devoção à Deusa, os havaianos a glorificam com cantos e danças sagradas. Estas danças sensuais e místicas se denominam “Hula” e são o único vestígio da antiga vida havaiana. Os sons da Hula não são compostos por mortais, mas pelo espírito de Pele que os transmitem aos seus cultuadores. Acredita-se que todos aqueles que aprendem as danças estão possuídos por Pele. Um erro nos passos representa que Pele rejeitou o dançarino.

A Hula é a dança havaiana que conta uma história. A música é formada por cantos repetitivos chamados de MELE, podem ser recitados ou combinados com música. A Hula começou no antigo Havaí como uma forma de adoração.  As mãos e os movimentos de pernas combinam com a expressão facial e a dança por si mesmo conta a história da Hula. Para os havaianos a Hula ou Dança Havaiana é tanto uma celebração pela vida como um atestado de orgulho da identidade cultural.

A mensagem de  Pele

A aparição de Pele sinaliza a necessidade de despertar. Será que você tem andado quieta por demasiado tempo? Será que a sua vida parece tão calma e igual? A realidade é viscosa demais para você agarrar?

Você precisa preparar-se para despertar sua consciência e alcançar a consciência plena. Está na hora de ver as coisas como realmente são e começar a mudança para que as coisas possam ser como você deseja que sejam.

É hora de acordar para o seu potencial e força, é hora de se mexer. Preste atenção a tudo o que a vida está lhe dizendo. Pele diz Pele chega em nossas vidas para sinalizar que é hora de despertar!

Despertar o fogo interno, transformar a energia parada do medo e transmutar as raivas guardadas a fim de criar um novo espaço para seu ser pleno.

Pele diz que quando você alimenta o despertar, sua vida fica mais criativa, em vez de reativa — uma posição infinitamente mais poderosa.

Invoque Pele para: amor, paixão, sexualidade, magia, limpeza, purificação, conhecimento, emoções, transmutação, poder, vigor, coragem, fúria e revelações.

Símbolos: vulcão, hibisco e pedras vulcanizadas.

Dia: sexta-feira, terça – feira.

Cores: vermelho, laranja, preto, amarelo e branco.

Aroma: hibisco.

 

O Resgate da Natureza Selvagem da Mulher

Sensações de vazio, fadiga, medo, depressão, fragilidade, bloqueio e falta de criatividade são sintomas cada vez mais frequentes entre as mulheres modernas, assoberbadas com o acúmulo de funções na família e na vida profissional.  Esse problema, no entanto, não é recente, ele veio junto com o desenvolvimento de uma cultura que transformou a mulher numa espécie de animal doméstico.

A fauna silvestre e a Mulher Selvagem são espécies em risco de extinção pois a natureza instintiva da mulher foi reduzida e relegada às regiões mais pobres da Psique, à semelhança da fauna silvestre e florestas virgem. Vamos escavar as ruínas do mundo subterrâneo feminino e resgatar nossos recursos mais profundos da mulher.

Uma vez que que você mulher recupere a sua essência selvagem, você lutará com garra para mantê-la, pois com ela suas vidas criativas florescem; seus relacionamentos adquirem significado, profundidade e saúde; seus ciclos de sexualidade, criatividade, trabalho e diversão são restabelecidos; você deixará de ser alvos para as atividades predatórias dos outros; pois segundo as leis da natureza, temos igual direito a crescer e vicejar.

Seu cansaço do final do dia dever ter como origem o trabalho e esforços satisfatórios e nutritivos, e não o fato de viverem enclausuradas num relacionamento, num emprego ou num estado de espírito pequenos demais. Você saberá instintivamente quando as coisas devem morrer e quando devem viver; você saberá como ir embora e como ficar.

O título do Livro Mulheres que Correm com Lobos foi inspirado em um estudo de Clarissa Pinkola Estés, analista Jungiana,  sobre a biologia de animais selvagens, em especial os lobos. Ela faz uma analogia entre lobos saudáveis e as mulheres saudáveis: as 2 espécies quando saudáveis têm certas características psíquicas em comum tais como percepção aguçada, espírito brincalhão, elevada capacidade para a devoção, são gregários, curiosos, dotados de grande resistência e força. São profundamente intuitivos e têm grande preocupação para com seus filhotes, seu parceiro e sua matilha. Tem experiência em se adaptar a circunstâncias em constante mutação. Têm uma determinação feroz e extrema coragem.

Tanto as mulheres quanto os Lobos, foram alvos de desqualificações sendo-lhes falsamente atribuído o fato de serem trapaceiros e vorazes, excessivamente agressivos e de terem menor valor do que seus difamadores. Ambos, foram perseguidos e lhes foram roubados seus territórios de expressão de vida, erradicando assim tudo o que fosse instintivo, sem deixar que dele restasse nenhum sinal.

Assim como as ONG´s que defendem, protestam e lutam pelos animais e florestas em extinção, nós mulheres estamos sendo convidadas para resgatar a nossa floresta interior de onde brotam a nossa verdadeira essência da alma feminina.

O Resgate da Natureza Selvagem da Mulher

Quando as mulheres reafirmam seu relacionamento com a natureza selvagem, elas recebem o dom de dispor de uma observadora interna permanente, uma sábia, uma visionária, um oráculo, uma inspiradora, uma intuitiva, uma criadora, uma inventora e uma ouvinte que guia, sugere e estimula uma vida vibrante nos mundos interior e exterior. Quando as mulheres estão com a Mulher Selvagem, a realidade desse relacionamento transparece nelas. Não importa o que aconteça, essa instrutora, mãe e mentora selvagem dá sustentação às suas vidas interior e exterior.

Disso se trata uma Mulher Selvagem, ou seja uma mulher saudável em sintonia com o seu feminino.